Gluten – Cuidado

GLUTEN FAZ MAL

Este é o “resumo” da minha opinião como MÉDICO, amplamente embasada cientificamente e no acompanhamento de dezenas de milhares de pacientes em consultório:

#GLUTEN PREJUDICA a grande MAIORIA DAS PESSOAS, por DIVERSOS mecanismos diferentes (#ProntoFalei) – comprove no que explico detalhadamente no www.icaro.med.br/GLUTEN

(Assista o vídeo no link acima)

Aprenda ainda mais e melhor nestes livros (com centenas de estudos científicos respaldando o conhecimento): “O Perigo do Gluten”, “Barriga de Trigo” e “Glúten – Toxicidade, Reações e Sintomas”

(ESTUDE e forme VOCÊ sua própria opinião bem fundamentada: afinal, sua #SAÚDE em parte dependerá dela)

Entretanto, muita gente por aí ganha MUITO dinheiro quando VOCÊ come regularmente alimentos ricos em glúten (mesmo que fique passando mal por isto) e por isso espalham por aí que “Glúten não faz mal”, “É modismo falar mal do glúten”, “É terrorismo nutricional”, “Não há evidências científicas” (essa é a pior), “Jesus comia gluten” (o que é mentira), “Se tirar da dieta vai ficar mais carente”, etc – você acha mesmo que este povo quer perder clientes?

Agora, sai mais uma notícia algo sensacionalista, tendenciosa, aparentemente mal elaborada e com generalizações descabidas: Huffpostbrasil.com/2018/07/18/alimentos-sem-gluten-sao-mais-caros-e-bem-menos-saudaveis-do-que-convencionais-diz-revista_a_23484674/

Na minha opinião, são estas as muitas falhas do texto:

1 – Só coloca o #glúten como algo que faz mal para quem tenha #DoençaCelíaca mas 20 a 30 vezes mais pessoas passam mal com ele por problemas causados por “sensibilidade não-celiaca”.

2 – Parar de comer #gluten é uma medida absoluta em termos de melhorar a saúde (porque diminui a carga global de #inflamação e #intoxicação do organismo): se a pessoa substitui os alimentos com gluten por alimentos industrializados repletos de “coisas ruins” é uma decisão RUIM individual – ou seja, o ideal é que o gluten seja substituído por alimentos saudáveis: quem opta por não fazer isto está prejudicando-se pelas más escolhas e não por ter tirado o glúten da #alimentação.

3 – Produtos industrializados #semgluten são um pouco mais caros porque ainda há menos procura por eles; é uma lei de comercio: quando aumenta procura, aumenta a produção e diminui o preço. MAS há muitos produtos sem gluten não-industrializados que não são mais caros e podem ser boas opções: quem procura (de verdade), acha.

4 – Sair do gluten e ir pros excessos de carboidratos simples (e/ou carga total excessiva de quaisquer carbos) é uma má decisão individual, erro comum e muito danoso mas que NÃO depõe contra o conceito de alimentação sem-gluten em si: quem busca bom conhecimento não comete este erro que a reportagem parece buscar erradamente colocar como associação obrigatória.

5 – O texto “jornalístico” defende manter o Gluten na dieta até que seja “fechado” o diagnóstico de Doença Celíaca mas parece esquecer que enquanto isto ocorre o paciente está sofrendo dezenas de sintomas, agravando doenças e que muitas vezes sequer terá um diagnóstico adequado (muitos médicos mal conhecem Doença Celíaca… Imagine se sequer sabem das sensibilidades não celíacas ao gluten ou como identifica-las e trata-las!). Algo “Medieval” isto, não? Gente passando mal e que vai manter o sofrimento por um bom tempo só para ter um nome para seu sofrimento? Seria isto mesmo tão necessário?

6 – “Se o gluten não faz mal, não precisa bani-lo”. Sério? E a maioria dos pacientes que só acha que “fazer mal” significa sintomas gastrintestinais e não um MONTE de sintomas à distância, causados ou agravados? E os pacientes e profissionais de saúde que não fizerem a associação do que sentem ao glúten – Se não é nomeada, não existe?

7 – A maior parte da população mundial, sobretudo nas últimas 5 décadas, ESTÁ DOENTE porque come carboidratos (açúcares) demais no dia a dia: ou seja, excesso de carboidratos nos dias de hoje não é comportamento “só de quem alimenta-se sem gluten”; parte da mídia geral e muitos profissionais têm procurado colocar desta forma mas desconheço estatísticas oficiais que comprovem que “quem come menos glúten come mais carboidratos que a população em geral” ou sequer que por isto esteja mais doente. Sobre os males do excesso de carboidratos, acesse: www.icaro.med.br/?s=Carboidratos

8 – Seria “coincidência” esta matéria sair logo após o #GlutenFreeBrasil ?

Entendeu?

CUIDADO com em que você acredita… Hoje em dia, para ganhar audiência, estão até “apelando”!

BOA Alimentação é coisa séria e é BASE para Saúde de verdade. #FaçaASuaParte: www.icaro.med.br/ALIMENTACAO – Quem come mal sabota qualquer tratamento, qualquer resultado.

#PenseNisso

Boa semana!

Dr. Ícaro Alves Alcântara | Médico

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on telegram
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques

CÂNCER

Alguns comentários MEUS sobre CÂNCER, visando ajudar você a entender melhor o assunto. Atendendo a inúmeros pedidos, segue abaixo uma

Entre para nosso grupo no telegram para receber em primeira mão nossos posts

Assuntos relacionados

Por que beber ÁGUA com LIMÃO diariamente possivelmente vai ajudar na sua saúde
Detox: funciona sim e deveria ser feito por todos nós!