,

Curiosidades ÚTEIS sobre a TIREOIDE

Série de posts meus sobre o assunto, no facebook.com/DrIcaroAlves e instagram.com/DrIcaroAlves.


Tenho estudado bastante sobre tireoide e compartilho com vocês informações avançadas sobre o assunto: úteis para você (ou alguém que você conheça) e ainda pouco abordadas, pelo que sei.

1. Antes de prosseguir, saiba o básico sobre tireoide ou pode até não entender o que vem a seguir; para isso, acesse: www.icaro.med.br/TIREOIDE

2. O TSH liberado pela sua hipófise (glândula no seu cérebro) tanto estimula a produção de T4 pela tireoide quanto a conversão deste T4 em T3 em vários lugares do corpo; ou seja: TSH baixo demais também não é algo bom – todo excesso faz mal.

3. O fígado é um dos lugares onde enzimas mais transformam o T4 em T3 (a forma ativa do hormônio tireoidiano), motivo pelo qual quando está inflamado, intoxicado ou sobrecarregado, um paciente facilmente pode apresentar sintomas de hipotireoidismo; por isso, quando este for o caso, substâncias que ajudem o fígado podem ajudar no efeito dos hormônios tireoidianos, como silimarina (do cardo mariano), acetilcisteína, boldo, etc.

4. Intestinos inflamados prejudicam a conversão de T4 em T3, tanto pela produção de mediadores inflamatórios quanto pela perturbação da flora bacteriana intestinal (que, em parte, também converte); e adivinhem o que mais inflama os intestinos? Alimentação ruim (www.icaro.med.br/Alimentacao) e hábitos de vida ruins (https://icaro.med.br/12habitos/)

5. Lembre-se: há muito mais para você saber sobre tireoide em www.icaro.med.br/Tireoide – você precisa conferir lá!

É claro: não se automedique; antes de colocar em prática o que falei, o ideal é você submeter este conhecimento de qualidade à análise do seu profissional de saúde de confiança, ok?]


PARTE 2:

5. Quem tem função biológica nos tecidos é o T3 (www.icaro.med.br/T3) e não o T4 que sua tireoide produz ou que você toma, sob a forma de Levotiroxina (Puran, Levoid, Synthroid, Euthyrox, etc). Todo T4 tem que “perder” uma molécula de iodo nos tecidos onde vai agir, para que possa virar T3 e só assim efetivamente atuar e aumentar o metabolismo local; ou seja, só tomar o “remédio da tireoide” não garante que você tenha seu hipotireoidismo “automaticamente” compensado, já que são muitos os casos em que o paciente não converte direito o T4 em T3 (por hábitos de vida ruins, falta de nutrientes, intoxicações, inflamações, carências hormonais, etc).

6. Ter níveis de TSH dentro dos parâmetros de laboratório não garante que seu hipotireoidismo esteja “compensado”! O TSH é a ordem do cérebro (através de uma glândula chamada hipófise) para a tireoide produzir T4 (e um pouquinho de T3, ela mesma) e, quanto mais T4 a tireoide produz, mais este T4 informa para o cérebro que tem T4 “suficiente” no corpo e que por isso a liberação de TSH pode diminuir. O problema é que se este T4 “suficiente” não está virando T3 também em quantidade “suficiente”, o TSH vai ficar “dentro do aceitável”, seu médico vai te dizer que “está tudo ok”, mas na verdade provavelmente não está!

7. Portanto, como médico, digo para vocês que me parece insuficiente usar só exames de TSH e T4 para dizer que alguém tem “tireoide OK” ou suficiência de hormônios da tireoide em seu organismo. Sugiro que a avaliação mais completa e adequada siga estes parâmetros: https://icaro.med.br/exames-para-avaliacao-da-tireoide-o-que-voce-precisa-saber/


PARTE 3:

8. Quem leva uma vida pouco ativa (poucas atividades, poucos exercícios físicos, nível baixo de exigência do cérebro, etc.) naturalmente tem redução na produção de T4 e/ou na ativação do T4 em T3, como forma do organismo manter o metabolismo baixo proporcionalmente, ante o nível de atividade de cada um. Em geral, o distúrbio funcional de tireoide (e de adrenais, muitas vezes) deve ser suspeitado quando, em um período da vida, alguém precisa responder mais “intensamente” a uma situação potencialmente estressora mas não consegue, o que inclui tanto demanda física quanto mental, emocional, combate a infecções, etc.

9. O mineral selênio é muito importante para a ativação de enzimas fundamentais para a conversão do T4 em T3; por isso a tireoide é o tecido do corpo onde, proporcionalmente, há maior presença deste mineral. Como ele também é importante para a atividade adequada do sistema imunológico, sua carência tem sido implicada como um dos fatores causal ou agravante das doenças autoimunes que atacam a tireoide, como a Tireoidite de Hashimoto. Vários alimentos são boas fontes de selênio, mas a castanha-do-pará é a melhor fonte conhecida em nosso país (é claro, desde que, idealmente, seja procedente de bom solo ou terá seu teor de nutrientes reduzido).

10. Quando o hormônio cortisol está alto demais (por exemplo, em situações “algo mais duradouras” de stress elevado), isto reduz a conversão do T4 em T3, podendo levar a sintomas de hipotireoidismo. Vale lembrar aqui que, se o stress perdura por tempo demais, muitas pessoas deixam de produzir cortisol suficientemente e podem evoluir para fadiga crônica (https://icaro.med.br/fadiga/), situação em que a tireoide tende a ser mais exigida para tentar compensar as adrenais (que produzem o cortisol e vários outros hormônios) e acaba, com o passar do tempo, exaurindo-se também.


PARTE 4:

Milhares de pessoas têm acessado meu material sobre tireoide (https://icaro.med.br/?s=Tireoide), especialmente icaro.med.br/hipotireoidismo/ e https://icaro.med.br/tireoide/, além dos vídeos no https://www.youtube.com/dricaroalves, confiança pela qual muito agradeço em meu trabalho!

E a pergunta mais comum que tenho recebido nos últimos meses é: “Doutor, quais exames são necessários para avaliar a Tireoide”?

Resposta: Seu médico, competente e atualizado, é a pessoa mais indicada para responder isso, avaliando suas necessidades individuais – até porque seu caso pode requerer exames mais ou menos detalhados.

Entretanto, em geral, o que peço para meus pacientes assim que chegam procurando meu acompanhamento médico são:

  • TSH, T4 livre, T3 livre, T3 reverso, Tireoglobulina e Ecografia (US=Ultrassom=Ecografia) (Explico detalhes sobre estes nos links acima: recomendo fortemente que você acesse, leia, assista!)

  • Idealmente, contudo, para primeira consulta, peço também Anticorpos (Por exemplo, Anti-TPO, Anti-Tireoglobulina, Anti-TSH), T4 total, T3 total e Ecografia com Doppler (dá mais detalhes, em caso de nódulos ou cistos) – caso o paciente possa pagar por estes e/ou seu convênio cobrir, de forma a tornar mais completa sua avaliação.

Vale ressaltar, entretanto:

  • Salvo situações onde o paciente tem nada de tireoide funcionante (retirada totalmente ou neutralizada completamente por tratamentos, a exemplo do iodo radioativo), esta nobre glândula responde MUITO BEM à melhoria dos hábitos de vida, algo fundamental à restauração da sua saúde: https://icaro.med.br/12habitos/

  • A investigação adequada de qualquer órgão, incluindo glândulas, requer primeiramente consulta detalhada, onde as queixas do paciente são ouvidas de maneira atenta e pormenorizada e complementada por exames. Fazer exames sem que seus resultados sejam relacionados a dados clínicos detalhados muitas vezes provoca erros de diagnóstico e tratamento.

  • A tireoide não funciona sozinha e muitas vezes para recuperar/otimizar seu funcionamento o paciente precisará fornecer-lhe nutrientes que frequentemente faltam, como Selênio, Ferro, Zinco, L-tirosina, etc – adequação nutricional e suplementação, quando necessárias, idealmente requerem indicação e acompanhamento profissional competentes.

  • Em outros casos, além das correções acima, o paciente muitas vezes precisa da otimização do funcionamento de outras glândulas (por exemplo, quando as adrenais “vão mal” a tireoide pode ser levada mais facilmente à exaustão) e até de reposição de outros hormônios, já que afetam a produção dos hormônios da tireoide (podendo suprimi-la ou hiperestimulá-la): por exemplo, níveis adequados de GH e Melatonina são necessários à produção adequada de T4 (Tiroxina), carências de testosterona e progesterona (e níveis altos de leptina, comumente aumentada quando há excesso de gordura corporal) costumam reduzir a conversão de T4 em T3 por vários tecidos/órgãos do corpo.

Entendeu?


PARTE 5:

Sobre tireoide, hipotireoidismo e assuntos afins, muita informação para você em:

icaro.med.br/tireoide/

icaro.med.br/hipotireoidismo/

icaro.med.br/hormoniosdatiroide/

icaro.med.br/T3

icaro.med.br/exames-para-avaliacao-da-tireoide-o-que-voce-precisa-saber/

Por exemplo:

  1. Todo hipotireoidismo é Hashimoto?
  2. Tem cura?
  3. Nódulos e cistos significam necessariamente que a glândula não produz hormônios direito?
  4. Iodo é necessário ou faz mal?
  5. A alimentação afeta algo?
  6. Há relação com as outras glândulas e hormônios do corpo?
  7. Quem precisa de T3 além do T4?
  8. Todo mundo precisa de ecografia? E biopsia?
  9. Quem pode acompanhar e tratar?

Os hábitos de vida, o estilo de vida afetam a tireoide? Acesse e confira estas e muitas outras respostas – atualizei o link com o vídeo das perguntas e respostas de ontem!


Mas, você pode se perguntar, “COMO POSSO TE AJUDAR?” A resposta começa com a compreensão de que cada pessoa tem um conjunto único de expectativas, preocupações e sonhos. Se você busca não apenas alívio para suas condições de saúde, mas também um caminho para uma vida mais plena e saudável, estou aqui para oferecer apoio. Juntos, exploraremos as abordagens e tratamentos mais adequados às suas metas de saúde e bem-estar. MARQUE SUA CONSULTA – saiba mais como eu trabalho em https://icaro.med.br/comoeutrabalho/

Recentemente, lancei meu 9º livro, TOTALMENTE GRATUITO. Neste livro, apresento o mapa que meus melhores pacientes utilizaram para obter sucesso com uma saúde de qualidade. BAIXE AGORA MESMO! É GRATUITO PARA BAIXAR E COMPATILHAR.

Com o objetivo de assegurar sempre o melhor conteúdo para você, leitor ou leitora, nosso site passa por atualizações constantes. Este post foi atualizado em:

Dr. Ícaro Alves Alcântara

CRM: 11639-DF

Contato: 61 99646 - 7775

(marcação de consultas, inclusive online: pacientes de todo o Brasil e exterior)

Email:

recepção.med@gmail.com

Principal material em SAÚDE

www.icaro.med.br/saude

Entre para nosso grupo no Telegram para receber em primeira mão nossos posts

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

DESTAQUE

Receba atualizações sobre saúde no seu email

Inscreva-se para receber dicas incríveis sobre saúde, bem-estar e hábitos saudáveis de vida, além de outros assuntos relevantes na área da saúde. Mantenha-se atualizado para uma vida mais saudável e feliz.